O que vale é a foto

Publicado por

Hamilton Zambiancki


Diga-se de passagem, quando a gente se propõe a trabalhar em coberturas fotográficas, estamos sujeitos a entrar em cada uma…

Para exemplificar, em agosto fiz uma viagem que tinha o objetivo único de realizar uma cobertura, me fez pensar em como é a vida de um repórter fotográfico. Cansativa e um tanto quanto desesperadora a estadia no litoral paranaense? Sim! Mas não podemos deixar de falar, também, que foi uma experiência significante.

Para quem me conhece, dirigir em rodovias não é o meu forte. Ou seja, a adrenalina já começou a subir já no início da viagem. E como não sou de correr, a primeira coisa que falei para o meu amigo, que faria a cobertura do evento junto comigo foi: “Você tá com pressa? Pois vou bem tranquilo no trajeto”. É, graças à Deus ele disse: “Vai de boa”.

Quando chegamos à Paranaguá, fomos direto ao hotel, para deixarmos nossas bagagens. O quarto era duplo. Não tinha guarda-roupa, as camas tinham a base feita de cimento, a mesa de “trabalho” era de plástico e na TV só funcionavam canais abertos. E para piorar, a tranca de porta do quarto tinha um acampamento de cupins. Me fez lembrar muito a casa de minha bisavó, em meados dos anos 80, em Belo Horizonte, que tinha piso de chão batido e sem nenhum conforto. Estávamos em um hotel meia estrela.

Paramos, olhamos e a primeira coisa que pensamos foi: bem, o que vale é a foto que viemos fazer!

Saímos do hotel e fomos circular com mais tranquilidade pela cidade para reconhecer o local onde ocorreria a pauta. Pimba! Pudemos registrar, logo na primeira noite, o Fandango Caiçara, uma festa folclórica que resiste ao tempo e movimenta toda uma cidade. A melhor coisa foi ver adultos e anciãos, assim como jovens e crianças festejando.

Foi uma cobertura literamente incrível. Conseguimos captar aspectos como cultura e fé, comunhão e esperança, alegria e harmonia.

Sabe qual a moral da história? Não importa se vamos ficar em hotel 5 estrelas, ou hotel meia estrela. Se será um dia ou mais de cobertura. Se fará chuva, ou sol. O que vale mesmo é cumprir o objetivo de uma saída fotográfica.

O que vale é a foto!

P.S.: a estadia no hotel ainda rendeu um pequeno ensaio fotográfico chamado Half Star Hotel.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s